#ClubeMãesDaBaixada: Pai que ajuda

#ClubeMãesDaBaixada: Pai que ajuda

Vamos ao tema do #ClubeMãesdaBaixada dessa semana?  O projeto reúne mães da Baixada Santista para conversar sobre temas maternos ou assuntos da região. O tema da semana é pai que ajuda então vale a pena deixar como dica a leitura ao companheiro!

Gostaria de começar esse texto dizendo que não me achou “sortuda” com algumas mães colocam por ter um marido que me auxilia na criação e na rotina dos meus filhos. Não acho que seja obrigação minha ficar atrás dele pedindo isso ou aquilo com as crianças (por mais que aconteça muitas vezes) e esperar pelo “bom senso” paternal me tire a paz, acredito piamente que a criação de uma filho é dever equilibrado do pai e da mãe. Sem peso ou excesso para ambos os lados.

Aqui em casa demoramos para encontrar a forma “mágica” que funcionasse para os dois, e sempre tivemos a divisão das tarefas funcionais bem resolvidas: ele trabalhava, eu com tempo flexivel, cuidava da organização da casa, ele cuida das suas roupas, eu fico na limpeza. Claro que tem semanas que são um caos, eu acho que tá ruim o que ele fez e vice-versa. É um exercício diário de resiliência o casamento e as adequações que ele trás. Morar com alguém não é fácil mesmo!

paiCom a chegada dos filhos, a coisa dá uma pioradinha de leve afinal mais um serzinho que depende de nós pais para tudo. Supondo de você more em uma casa que receba apenas uma diarista quinzenalmente e passado o período de visitas para conhecer o bebê, a situação é essa: você, marido, um bebê e a vida rolando precisa de uma conversa franca e organização! Os maridos precisam entender, a seu tempo porque os homens precisam de um tempo para processar todas as mudanças, que você mãe precisa de ajuda e o pai precisa se posicionar! O ideal seria um pai ou companheiro presente, desde sempre: na gravidez é fundamental e depois que o bebê chega, gestação essa que ele também proveu, s tarefas deverão ser dividas.

Pois bem, passado o momento de adaptação e uma boa DR meu marido entendeu que ele presente na rotina das crianças não só me dá um tempinho para tudo (É IMPORTANTE SIM!), mais que as crianças precisam da presença do pai, do olhar diferenciado, do momento de estreitar o laço e curtir a presença. Não vou entrar nem na questão mãe solteira, o que na minha opinião são muito guerreiras, essa conversa fica para um próximo momento.

Outra coisa mães: se você não deixar, o marido não vai aprender! Entenda mulher que todo ser humano é diferente e que nem sempre seu marido vai fazer aquela tarefa da mesma forma que você e isso não tem problema (claro que todos em segurança!). Quando eu entendi isso, meu relacionamento com o maridão melhorou muito! Incentive esse homem a melhorar, explique a forma que você faz e sugira interação com a rotina da família.

Na atual rotina, ele trabalhando em São Paulo, chegamos a conclusão que seria importante ele tentar chegar, dentro das possibilidades cedo, para jantar junto ou terminar a lição de casa. Aos finais de semana meu marido reina, é papai para tudo e eu fico de escanteio! Claro que isso só foi capaz porque meu marido entendeu que isso é importante para mim e para as crianças, queremos ele presente, mesmo com a rotina louca que nos é exigido. Ou seja pais: não ter tempo não é desculpa! Quando encontrar seu filho, se dedique a ele, de corpo e alma, brinque se suje, curta esse momento! O cansaço ameniza, faz um bem danado para a criança e sua esposa vai amar!

Sobre o Autor

Thais Oliveira Santos

Jornalista de profissão, sagitariana nata, otimista sempre.De todas as coisas que eu gosto, escrever está entre as 5 melhores. Ser mãe me mostrou uma pluralidade incrível e uma tolerância notável. De tudo que passei, não mudaria nada pra chegar até aqui.

Sem Comentários

Deixe uma resposta