Meu filho não come, e agora?

Meu filho não come, e agora?
Um assunto que está sempre em alta nas rodas das mães é a alimentação da criançada. Existe uma fase (sempre a famosa fase) em que a criançada que come bem dá aquela desestimulada o que já deixa nós mães em alerta. E nas famílias dos pequenos sem apetite são tantos malabarismo na hora da refeição. Na coluna da nutricionista Amanda Demigio dá dicas de como incentivar seu filho nas refeições sem grandes problemas!

Muitos pais se preocupam quando a criança não come nada e essa questão vai ficando cada vez mais difícil , até essa criança apresentar problemas de ordem nutricional, como por exemplo, anemia e inúmeras deficiências de nutrientes , além de bactérias ruins acumuladas no intestino, trazendo a disbiose. No lar, os pais tentam de todas as formas driblar essas situações, se esforçam, tentam de tudo para que o seu pequenino enfim, coma toda a comidinha,  mas o resultado muitas vezes é frustrante. É cansativo você tentar de diversas maneiras encontrar algum método que funcione para o seu filho ,aquela fórmula mágica, onde tudo funciona e a mãe e o papai tem satisfação total.        

 Fica muito difícil para alguns pais cumprirem as tarefas da boa alimentação sozinhos, sem a ajuda de profissionais e da mídia também, mesmo porque o assunto em pauta é a obesidade, então o conteúdo sobre esse tema é bem raro na sua íntegra,não focando o problema real.    

 No consultório, em conjunto com psicólogos realizo um trabalho para tentar ajudar algumas mães, tentando descobrir na essência o real problema.  Pesquisas demonstram que 50% das crianças entre 1 a 5 anos são classificadas como picky eaters (chamados comedores seletivos) , ou seja , eles excluem determinados grupos de alimentos , pulam refeições , ou não comem quase nada.   Por detrás dessas situações há sempre mães em desespero ,tentando alguma solução para acabar com essa rotina estressante.  É bom deixar bem claro que a refeição é um campo de batalha natural para toda criança, ou seja é a primeira oportunidade que ela tem de experimentar a independência , a autonomia e é positiva essa sensação para elas .                            

Aí segue algumas dicas para as mamães não entrarem em pânico : 

  •  Não faça da hora do jantar um grande campo de batalha . 

  • Se não comer não vai brincar. Essa tática não funciona e o ambiente se torna tenso para os pequenos .

  • A hora das refeições deve ser prazerosa .

  •  Não é um momento opressor, de tensões, e sim de oportunidade de prazer, alegria, satisfação , deve ser apenas o momento da alimentação .

A alimentação deve ser totalmente variada e cheia de novidades, sem perder a simplicidade que este momento exige. Ofereça sempre vários tipos de alimentos e também formas variadas de preparação e apresentação, mesmo que a criança não coma, não desista, lembre-se que as vezes a mesa pode estar linda, mas realmente não querem comer. 

 

Respeitar o paladar das crianças

                   

É preciso investigar bem para perceber que a criança não gosta de determinados alimentos, mas é comum, pois também temos as nossas preferências. A recusa alimentar deve ser investigada quando afeta o estado nutricional das crianças:  A causa pode ser orgânica ou emocional, mas na grande maioria é comportamental, ou seja , há necessidade de corrigir o comportamento da criança e da família . O tratamento deve incluir orientações nutricionais ,comportamentais e psicológicas, não só para a criança , mas também para os pais e irmãos , afim de que toda a família ajude nesse processo. Os suplementos nutricionais também são indicados em alguns casos , até que se solucione o problema .                                               

Observação : existe um trabalho específico realizado em consultório , que eu , particularmente chamo de nutriterapia infantil ( específico para crianças que não se alimentam corretamente). Na nutriterapia, trabalho em conjunto com psicólogos , investigando todo o contexto familiar e nutricional , onde também são oferecidos grupos de alimentos de forma lúdica e simples.  

Amanda Mendes Demigio – CRN 20318

Contato: amandademigio@yahoo.com.br

 Tel : (13)33246081 / (13)78082487

Sobre o Autor

Thais Oliveira Santos

Jornalista de profissão, sagitariana nata, otimista sempre.De todas as coisas que eu gosto, escrever está entre as 5 melhores. Ser mãe me mostrou uma pluralidade incrível e uma tolerância notável. De tudo que passei, não mudaria nada pra chegar até aqui.

Sem Comentários

Deixe uma resposta