Nutrição: uma esperança para o autismo

Nutrição: uma esperança para o autismo

No próximo dia 2 é celebrado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, em Santos acontece a II Caminhada do Grupo Acolhe Autismo em Santos, a dica da nutri de hoje é sobre alimentação que auxilia no tratamento e melhora as condições dessa garotada. Clica, confere o texto e não deixe de marcar as mães, toda ajuda é sempre bem vinda! 

Uma das situações que encheu meu coração de solidariedade nos últimos tempos, foi o de investigar as situações patológicas dos autistas . Para quem não sabe , o autismo é um transtorno classificado como “transtorno do espectro autista” (TEA) , é caracterizado pelo déficit no desenvolvimento neurológico que envolve prejuízo cognitivo , na comunicação , dificuldade de socialização, comportamento restritivo e repetitivo que podem variar de leves a severos . (APA, 2013) .

O autismo é um transtorno neuropsiquiátrico que se desenvolve na infância precoce , caracterizado pela deterioração ou demora na interação social e da linguagem , com padrões repetitivos de comportamento. A sua etiologia ainda é desconhecida, apresentando anormalidades na estrutura e função cerebral, principalmente no sistema límbico e cerebelar .

Pesquisas evidenciam que há uma relação entre autismo com distúrbios do metabolismo das proteínas , ou seja , ele está relacionado ao consumo das proteínas derivadas do leite e glúten agravando os sintomas desse transtorno .

Sua etiologia ainda não é esclarecida, mas pode estar associada a fatores genéticos , ambientais ou dietéticos . De acordo com alguns relatos de pais que aparecem nas escolas , consultórios e pesquisas evidenciam que grande parte das crianças com TEA enfrentam problemas gastrointestinais  como refluxo gastroesofágico , constantes diarreias e dores abdominais . Ocorre também muitas dificuldades de origem alimentar , como aversões a certos tipos de texturas , ou cheiro de alimentos , pode haver recusa ou seletividade alimentar , causando carência de nutrientes e interferência no desenvolvimento da criança.

Crianças que apresentam sérios problemas gastrointestinais e alimentares , devem ser avaliadas por uma equipe multidisciplinar como por exemplo : pediatras ,psicoterapeutas , fonoaudiólogos e nutricionistas para que seja traçado um plano clínico para melhorar os sintomas e promover qualidade de vida .

Vários estudos estão comprovando que uma dieta livre de lactose e derivados do leite , bem como pobre em açúcar pode contribuir muito para a melhora do quadro clínico de cada indivíduo , fazendo com que alguns sintomas diminuam , promovendo bem estar e mais conforto , principalmente  para os pais .

          Cardápio modelo : pão sem glúten ,sucos , frutas – arroz , feijão, frango, peixe ou ovos, folhas e legumes .

  • Evite: fontes de açúcares , como por exemplo guloseimas ,bolos , refrigerantes ou qualquer outra bebida adoçada , fermento e amido .

 

Amanda Mendes Demigio – CRN 20318

Contato: amandademigio@yahoo.com.br

 Tel : (13)33246081 / (13)78082487

Sobre o Autor

Thais Oliveira Santos

Jornalista de profissão, sagitariana nata, otimista sempre.De todas as coisas que eu gosto, escrever está entre as 5 melhores. Ser mãe me mostrou uma pluralidade incrível e uma tolerância notável. De tudo que passei, não mudaria nada pra chegar até aqui.

Sem Comentários

Deixe uma resposta